Translate

Pesquisar

terça-feira, 30 de agosto de 2011

15 assaltos por dia na Estação da Lapa


http://www.alemdanoticia.com.br/ultimas_noticias.php?codnoticia=10741


O assalto com disparo de arma de fogo que levou pânico aos usuários da Estação da Lapa, em Salvador, neste sábado (27), foi apenas um dos mais de quatrocentos que ocorrem no local todo mês. De acordo com um agente de polícia que atua no local, consultado pelo jornal Correio, a média é de 15 ocorrências por dia. Apesar do grande fluxo de passageiros, que chega a 460 mil em dias movimentados, apenas seis vigias fazem a patrulha no maior terminal de transbordo da cidade. Três trabalham durante o dia e três à noite. Além deles, há três duplas de policiais, com um carro, mas que só atuam entre 7h e 19h.

Um ano sem Fonte Nova


http://www.alemdanoticia.com.br/ultimas_noticias.php?codnoticia=10749

Um ano sem Fonte Nova
Os dezesseis segundos definitivos da Fonte Novacompletam nesta segunda-feira (29) um ano de contagem iniciada. Pelo poder de 700 quilos de dinamite, o anel superior foi abaixo. O estrondo de 134 decibéis foi o último barulho ouvido com o estádio ainda de pé. Faz um ano que a presença material da Fonte Nova se resume a fragmentos de dimensão centimetrada guardados por saudosistas. Em completo estado bruto, algumas peças destinadas a virar entulho mudaram-se para centro de mesas ou outras áreas nobres de casas particulares. Intocáveis, transformaram-se em verdadeiros amuletos.Os torcedores de melhor condição financeira ainda conseguem adquirir lembrança do concreto original da antiga Fonte. Em redoma de acrílico e com o emblema da nova arena, sai por R$ 39, via web, e com entrega em domicílio.

Outodoors terão que ser licitados pela prefeitura

http://www.alemdanoticia.com.br/ultimas_noticias.php?codnoticia=10738




A farra das oito empresas que atuavam com a instalação de outdoors em Salvador, que movimentam cerca de R$ 40 milhões por ano pagando muito pouco à Prefeitura, mesmo utilizando-se de terrenos públicos, acabará devido à determinação do Ministério Público (MP-BA). A exploração de 779 placas instaladas em áreas de propriedade do Executivo municipal terá de ser licitada e executada perante critérios pré-estabelecidos. Segundo o jornal A Tarde, o MP-BA determinou que a Superintendência de Controle e Ordenamento do Uso do Solo do Município (Sucom) publique, até 1º de setembro, o edital de licitação para regulamentar a atividade. As  empresas A. Linhares, Chaves Outdoor, Impacto, Ponto Publicidade, Bahia Outdoor, Local, RGF Comunicação e Lopes e Lopes Propaganda repassam à Prefeitura uma taxa anual de cerca de R$ 6,3 mil por outdoor iluminado e R$ 4,1 mil para as peças simples. O preço cobrado para a exibição de publicidade por apenas 15 dias varia de R$3,2 mil a R$2,1 mil, nos outdoors sem iluminação. O lucro anual por cada peça é de R$ 25 mil a R$ 38 mil. Os painéis luminosos instalados em caminhões também poderão entrar na disputa licitatória, já que ficam parados também em área pública.

GEDDEL, ALELUIA E IMBASSAHY JUNTOS EM 2012


http://www.alemdanoticia.com.br/ultimas_noticias.php?codnoticia=10757


Divulgação
GEDDEL, ALELUIA E IMBASSAHY JUNTOS EM 2012
Há mais de um ano das eleições municipais de 2012, Geddel Vieira Lima (PMDB), José Carlos Aleluia (DEM) e Antônio Imbassahy (PSDB) já teriam definido a estratégia a ser adotada até o pleito em Salvador. Segundo a coluna Tempo Presente, do jornal A Tarde deste domingo (28), o trio teria decidido ficar unido e só faltaria chegar a um consenso quanto ao nome do candidato ao Executivo municipal - Mário Kertész (PMDB), ACM Neto (DEM) ou Imbassahy (PSDB). Eles articulariam também as opções de candidaturas no interior da Bahia, o que já estaria definido em pelo menos sete dos dez maiores municípios do estado, segundo o democrata.
Será????

Marcelo Nilo quer ser governador. E agora Wagner?


http://www.alemdanoticia.com.br/ultimas_noticias.php?codnoticia=10760


Google
Marcelo Nilo quer ser governador. E agora Wagner?
Agora foi que deu. Após entrevista do governador Jaques Wagner, que citou apenas nomes petistas para a disputa em 2014, o PDT parece não ter gostado do nome do presidente da Assembleia, Marcelo Nilo, ter ficado de fora da lista.  Informações dão conta de que, na Assembleia, os pedetistas não falavam em outra coisa. 
 Segundo noticiou o Tribuna da Bahia, opresidente da sigla, Alexandre Brust, nega  qualquer tipo de insatisfação,  contudo não hesitou em declarar que o entendimento no ninho brizolista é de que a eleição sendo em dois turnos, o PDT buscará o seu espaço.  
Mais além, o dirigente confirma que o nome de  Nilo, desde já, é o escolhido para representar o partido no embate futuro. “Afinal, estamos falando do deputado mais bem votado no estado, presidente da Assembleia de forma histórica por três mandatos. Isso tudo, sem falar na excelente relação que ele nutre com Wagner”, disse, complementando que, em encontro neste fim de semana, “fizemos questão de destacar que marcharemos com o governador na sucessão estadual, mas ressalvamos, na presença do deputado  Rui Costa (PT), que o PDT tem nome de peso para buscar assento no Palácio de Ondina”.  

Sem esconder o otimismo, o líder do PDT afirmou ainda que em política nada é impossível. “Na última eleição na AL, os petistas apoiaram Nilo de forma maciça, quem sabe daqui para lá não cheguem à conclusão que Nilo pode ser nome de consenso”. Sonho meu....

José Sérgio Gabrielli é o candidato de Lula na Bahia, afirmam fontes petistas


http://www.alemdanoticia.com.br/ultimas_noticias.php?codnoticia=10763

Exame
José Sérgio Gabrielli é o candidato de Lula na Bahia, afirmam fontes petistas
 O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, veio a Salvador para anunciar nada menos que R$ 14,7 bilhões(9,2 bilhões de dólares) para a Bahia, dinheiro que vai, em grande parte, para projetos exploratórios em águas profundas no Estado. Mas profunda mesmo ficou a insatisfação de correligionários petistas que estão de olho em 2014 e querem se candidatar ao governo do Estado, assim como Gabrielli. Opresidente da estatal é um dos nomes fortes e tem a seu favor a proximidade com o governador Jaques Wagner.
"Não tenho opinião sobre a candidatura dele, mas acho que ainda está muito cedo para falarmos em 2014", disse um dos postulantes ao cargo consultados em off pelo Bahia 247. "Mas nada está definido, pois além do nome de Gabrielli, fala-se no meu nome e no de outros colegas", retrucou, acrescentando que considera o presidente da Petrobras um "grande quadro".
Campanha preparada
Apesar do discurso de que 2014 ainda está longe, já existe um grupo de pessoas amigas de Gabrielli agrupando contatos próximos para articular a campanha. Já foi criado, inclusive, um grupo de e-mails chamado Amigos da Política para iniciar as discussões. "Recebo mensagens desse grupo de e-mails e fui convidado pessoalmente por um amigo de Gabrielli para participar dele; na ocasião, ele me informou que era um grupo para preparar a campanha", relatou outra fonte ao Bahia 247.
"Ele tem, sim, o desejo de ser governador do Estado e preenche todos os requisitos, mas diz que se sair candidato vai ser por decisão do partido", disse em sigilo outro quadro petista que trabalha no governo e tem proximidade com José Sérgio Gabrielli. "A proximidade com Jaques Wagner é boa pra ele, mas tudo terá que passar pelo crivo do partido", advertiu a mesma fonte, para quem a experiência de Gabrielli, que já fez campanha ao governo do Estado nos anos 90, conta mais. Mas se depender do maior nome do PT, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que é contra as prévias, o partido nem sequer será consultado, e Gabrielli já é candidato.

Por Antoniel Ferreira Jr.

Prezados,

A proposta é válida para alertar as autoridades, mas a solução do problema não está aqui em Salvador e as posibilidades de resultados concretos são deveras remotas, enésimas mobilizações já foram realizadas, sem qualquer êxito.

As manifestações deste gênero tem se tornado rotineiras, quando outrora ocorriam de forma esparsa e em resposta a evanescentes convulsões sociais decorrentes de crimes de ampla repercussão, porém vale pontuar mais uma vez que a solução dos problemas relacionados a segurança pública está na capital do país, em Brasília-DF, especificamente no Congresso Nacional, pois o crescente contexto de violência urbana em que estamos inseridos deriva de diversas variáveis o qual não caberá somente aos profissionais de segurança pública resolvê-los, até por quê eles não são legisladores e portanto nãocriam as leis que vigoram no país.

Esta é a herança com a qual seremos obrigados a conviver, não sei até quando, mas seguramente por um bom tempo e deriva da exclusão social, essas pessoas que hoje vivem na marginalidade foram as primeiras a serem violentadas pelo estado, pois não tiveram oportunidades de escolarização, a começar pela alfabetização, coisa que as escolas  públicas municipais deveriam fazer e não fazem, depois vem a problemática do ensino fundamental que ao invés de iniciar o aluno no contato com a ciência e com o mundo da cultura, dispõe este tempo para alfabetizar os alunos que outrora deveriam ser alfabetizados e não foram (os estabelecimentos públicos municipais não alfabetizam as crianças).

Já no ensino médio quando os alunos deveriam ser preparados para o mercado de trabalho ou para o ingresso no ensino superior nas universidades e faculdades as escolas estaduais transmitem conhecimentos que deveriam ser repassados no ensino fundamental.

Nascer pobre no Brasil no atual contexto é sinônimo de falta de oportunidades.

Nós bem sabemos em que se transformaram boa parte das escolas municipais e estaduais e não muito raros são pontos de degradação social, venda de drogas, etc...

A falta de educação básica, de um ensino médio de qualidade, de ausência de formação profissional ensejam na falta de oportunidades, no desemprego. Salvador não é uma das capitais do desemprego por falta de vagas no mercado de trabalho e sim por falta de qualificação profissional de parte expressiva da população, em fim, se para o prefeito de Salvador a população "é mal educada" de quem é a culpa?

Destaco que estas pessoas que hoje são criminosas são aquelas mesmas crianças que há  cerca de 10 ou 15 anos pediam esmolas nas sinaleiras da cidade.

 De nada adianta transferir a culpa para a polícia e demais profissionais da segurança pública. O ex-ministro da educação do governo Lula sempre dizia que a educação é tudo, realmente o Dr. Cristovam Buarque tem razão.

Friso que o grande desafio do Direito Penal em todo mundo não consiste em punir e sim evitar a reincidência.

Muitos governadores dos 26 estados brasileiros contrariam a  orientação da ONU – Organização das Nações Unidas em manter um Policial Militar para cada 250 habitantes e resistem em realizar concurso público para aumentar os efetivos policiais militares e civis nos estados por 2 razões que convergem na contenção de gastos, seja para conter gastos por aumento de efetivo, seja por força das despesas advindas após a tramitação da PEC 300/2008 - Projeto de Emenda à Constituição n° 300 que fora proposta em 2008 e trata da criação do piso salarial nacional dos policiais militares e bombeiros equiparando seus vencimentos àqueles vencimentos pagos aos policiais militares e bombeiros no Distrito Federal (os vencimentos mais altos do país).

Sendo esta PEC nº 300/2008 aprovada no Congresso Nacional é possível  que acarrete problemas com a LRF – Lei de Responsabilidade Fiscal (Lei Complementar n° 101/2000), todavia toda regra tem exceções, pois paradoxalmente os gestores públicos insistem nas famigeradas terceirizações que tanto encarecem a máquina pública estatal com  altos encargos trabalhistas e que cria um sistema perverso de perpetuação no poder que se lastreia pela barganha de empregos em troca de votos. Eis a reconfiguração do voto de cabresto em pleno século XXI cuja lógica (modus operandi ) tornou-se sutil e deveras requintado.

Todavia, há um relevante aspecto a ser observado neste jaez. Acontece que com o aperfeiçoamento do confisco patrimonial ocorrerá aumento significativo na arrecadação estatal do ente federativo vinculado a ação penal, seja um Estado Membro, o Distrito Federal ou a União em sua respectiva competência jurisdicional criminal e analisando sob esta ótica o aumento da arrecadação estatal amortizará sensivelmente os impactos financeiros advindos da aprovação da PEC nº 300/2008 sob o crivo da Lei da Responsabilidade Fiscal.

Vale destacar que a LRF – Lei  de Responsabilidade Fiscal limita os gastos com pessoal vinculado ao executivo estadual em 46% (limite prudencial), no entanto tal conflito entre o justo e o legal gera um impasse, pois como os poderes públicos estaduais poderão exigir produtividade dos policiais se os mesmo são mal remunerados?

Como alternativa ao imbróglio há uma sugestão para tentar equacionar o problema: enviar um PL - Projeto de Lei ao Congresso Nacional para promover alterações no CPP – Código de Processo Penal (Decreto Lei n° 3689/1941) e criar o instituto jurídico denominado (sugestivamente) de Procedimento Cautelar de Expropriação Extrajudicial Especial (Penhora Extrajudicial de cunho cautelar) e assim o Ministério Público Estadual terá amplos poderes para leiloar todos os bens apreendidos pela Polícia Militar e Civil em operações policiais cuja origem é duvidosa e sem qualquer comprovação quanto a sua procedência legal e que foram adquiridos
 pelos traficantes com a atividade criminosa, sendo que 70% de todos estes valores adquiridos com estes leilões fossem revertidos para 2 fundos: um fundo exclusivamente destinado a remunerar os próprios policiais civis e militares, seria uma recompensa ao esforço depreendido em defesa da sociedade e outro fundo destinado ao SUS – Sistema Único de Saúde.

Os 30% restantes das rendas adquiridas com o Procedimento Cautelar de Expropriação Extrajudicial Especial (Penhora Extrajudicial de cunho cautelar) seriam destinadas a outro fundo vinculado ao financiamento complementar do SUS – Sistema Único de Saúde que tem muitas despesas com o custeio de cirurgias e procedimentos médicos dos mais variados decorrentes da violência urbana nas cidades brasileiras e assim melhor remunerar todos os profissionais de saúde que trabalham em unidades de pronto-atendimentos e de emergência.

Se a apreensão for realizada pela Polícia Federal o  leilão seria realizado pelo MPF - Ministério Público Federal após o Procedimento Cautelar de Expropriação Extrajudicial Especial (Penhora Extrajudicial de cunho cautelar) no qual 70% das rendas obtidas com tais leilões seriam revertidas à Polícia Federal e 30% para o custeio do SUS – Sistema Único de Saúde, o que tornaria desnecessária a possível reedição da cobrança da famigerada CPMF dos sobrecarregados cidadãos contribuintes.

Assim o problema estava resolvido provisoriamente para as partes envolvidas, senão vejamos:

a) Os expressivos valores que serão adquiridos com os leilões dos bens adquiridos com o Procedimento Cautelar de Expropriação Extrajudicial Especial (Penhora Extrajudicial de cunho cautelar) suprirão por um bom tempo a suposta falta de recursos dos governos estaduais para melhor remunerar seus policiais civis e militares e custear a saúde pública, até que os governos estaduais eliminem as terceirizações  ilegais (atividade-fim) e enxuguem as máquinas públicas dos seus respectivos estados e doravante possam remunerar seus policiais e bombeiros com base na proposta da PEC-300/2008 sem maiores contratempos.


b) Os policiais civis, militares e federais melhor remunerados teriam mais estimulo para trabalhar e realizar mais apreensões de bens móveis e imóveis adquiridos com o tráfico de drogas.

c) Com os bens apreendidos e indisponíveis, sem patrimônio e sem capital a matriz financeira do tráfico de drogas ficaria sufocada, o traficante capitalista ia aprender de uma vez por todas que o crime não compensa e assim o tráfico de drogas ilícitas no Brasil estaria sob controle, evitar-se-ia a reincidência do criminoso e de certa forma o estado seria ressarcido financeiramente dos danos advindos com a atividade criminosa.

Tal proposta também estimularia o desenvolvimento de ferramentas e instrumentos destinados a inteligência policial otimizando-as, desta forma diminui-se o risco de conflitos armados, reduzindo-se assim o risco de tiroteios e derramamento de sangue de policiais, cidadãos (balas perdidas) e criminosos.

Convém destacar que o novo instituto do Procedimento Cautelar de Expropriação Extrajudicial Especial (Penhora Extrajudicial de cunho cautelar) somente teria eficácia no processo penal (DL n° 3689/1941) e seria uma importante ferramenta para desburocratizar, acelerar a expropriação de bens adquiridos em atividades criminosas tornando desnecessária uma ordem judicial para validar tal expropriação, por isso a denominação: Procedimento Cautelar de Expropriação Extrajudicial Especial (Penhora Extrajudicial de cunho cautelar).

Genericamente a expropriação é quase sinônima da desapropriação, mas há um pequeno detalhe que faz toda diferença, pois enquanto na desapropriação ocorre a utilização do poder de império do estado para retirar de alguém a propriedade de bens imóveis mediante o pagamento de uma indenização ao desapropriado (cidadão e sujeito passivo do processo de desapropriação), coisa que não ocorre na expropriação na qual não há qualquer indenização ao criminoso “ex vi legis” as disposições legais do artigo 243 da Constituição Federal.

Classicamente no âmbito extrajudicial tal procedimento também já existe quando, por exemplo: quando um estado ou município precisa desapropriar um imóvel para viabilizar a construção de uma rua, avenida ou construir uma importante obra pública, ou utilizar um imóvel para fins de utilidade pública (escola, delegacia ou posto de saúde, etc...), todavia destaco novamente que nestes casos o poder público é obrigado a indenizar o antigo proprietário do bem desapropriado, pois o adquiriu de forma honesta e lícita.

O instituto jurídico do Procedimento Cautelar Expropriação Extrajudicial Especial (Penhora Extrajudicial de cunho cautelar), além da aplicabilidade nos bens imóveis, também seria aplicado a bens móveis, por exemplo: veículos, contas bancárias e sem o pagamento de qualquer indenização aos criminosos até por que os referidos bens foram adquiridos com a atividade criminosa, à margem da lei e desta forma o estado seria ressarcido e principalmente os agentes públicos envolvidos diretamente neste árduo e difícil trabalho.

Vale frisar que as rendas derivadas destes bens não serão destinadas as Fazendas Públicas dos estados e do Distrito Federal, serão destinados a dois fundos: um seria criado exclusivamente para remunerar os policiais civis, militares e federais (se for o caso) e o outro fundo seria criado exclusivamente para o custeio do SUS, especificamente para remunerar os profissionais de saúde que trabalham nas UPAs – Unidades de Pronto Atendimento 24 horas e emergências.

No âmbito da  estrutura física estatal é preciso em caráter emergencial informatizar todos os cartórios tanto de registros de títulos, documentos e oficio, quanto os cartórios de registro de imóveis, este procedimento será importante para viabilizar um monitoramento exato das destinações destes bens ilícitos adquiridos na compra e aquisições de imóveis, já no cartório de títulos e documentos e ofícios a fim de verificar verificar se há mais envolvidos na rede criminosa na condição de procuradores ou constituintes de sociedades de fato (empresas sem registro na JUCEB e DNRC), daí a importância de informatizar os cartórios de oficio e títulos e documentos.

Também seria de grande valia integrar os bancos de dados da Receita Federal, do DNRC – Departamento Nacional de Registro do Comércio e das Juntas Comerciais de todos os estados brasileiros e do Distrito Federal, pois facilitaria sensivelmente a repressão ao crime de Lavagem de
 Dinheiro (um tipo penal extravagante previsto na Lei Federal nº 9.613/1998).

Por falar em Lavagem de Dinheiro, também segue outra sugestão que consiste no envio de outro Projeto de Lei ao Congresso Nacional para propor uma mudança no Estatuto da Advocacia (Lei Federal n° 8.906/1994) para proibir expressamente os advogados de patrocinar causas criminais de traficantes de drogas, pois seus honorários são pagos com dinheiro sujo de sangue, ás custas do esfacelamento e destruição de diversas famílias brasileiras, portanto em tese este advogado ao ser remunerado com dinheiro proveniente desta atividade criminosa também estaria cometendo crime de Lavagem de Dinheiro, podendo inclusive tal advogado ser enquadrado neste tipo penal extravagante previsto na Lei Federal n° 9.613/1998.

O patrocínio da defesa de traficantes de drogas (doravante necessitado de assistência jurídica gratuita) ficaria a cargo da Defensoria Pública (artigo  134 da Constituição Federal) que é constituída por advogados (servidores públicos) remunerados pelo próprio estado, por isso conclusivamente seria desnecessária remuneração complementar deste profissional até por que não teria recursos financeiros para tal, pois com base na sugestão anterior 70% dos valores confiscados nas contas bancárias, veículos e bens móveis e imóveis dos traficantes seriam destinados aos policiais civis e militares e federais sendo o caso e 30% para custear o SUS – Sistema Único de Saúde e aos profissionais de saúde que trabalham em UPAs 24 horas e emergências, sendo portanto desnecessária a reedição da cobrança injusta da CPMF do sofrido povo brasileiro.


Para finalizar, destaco que é de bom alvitre que o Congresso Nacional através de outro PL – Projeto de Lei (3°) também proponha mudanças no Código Eleitoral vigente (Lei Federal n° 4737/1965) para proibir definitivamente as “doações ocultas” para o financiamento de campanhas eleitorais, assim tais políticos oportunistas que são tão criminosos quanto os traficantes e nada fazem em benefício da população seriam desmascarados e excluídos definitivamente da política, pois não teriam recursos ilícitos para ludibriar a população em troca de votos nas eleições vindouras.

Como ferramenta de monitoramento é perfeitamente possível fazê-lo através do sistema de dados do Banco Central no qual o recurso doado de forma oculta não poderia ser utilizado pelo candidato ou partido político e 90 (noventa) dias após as eleições tal recurso financeiro de origem duvidosa depositado na  conta do candidato ou do partido seria revertido para o mesmo fundo destinado aos profissionais de segurança pública e para o SUS – Sistema Único de Saúde.

Não sejamos ingênuos em conceber que é possível acabar definitivamente com o tráfico de drogas, tal tarefa é impossível, no entanto é perfeitamente viável deixá-lo sob controle, pois este dependerá essencialmente da vontade política dos nossos governantes, sobretudo dos 513 Deputados Federais e dos 81 Senadores da República lá em Brasília-DF.

Cordialmente,

Antoniel Ferreira Jr.
(71)9101-2381/ 8669-1664/ 8141-8417/ 9955-0044 

Blog: www.antonielfjr.blogspot.com 

Mapa do crack em Salvador

http://www.correio24horas.com.br/noticias/detalhes/detalhes-1/artigo/cidade-de-pedra-correio-volta-a-mapear-o-crack-na-capital-baiana/

rss feed

Cidade de Pedra: CORREIO volta a mapear o crack na capital baiana

"Minha mãe morreu de Aids e meu pai, de pico. Não quero morrer de crack', diz usuário

28.08.2011 | Atualizado em 28.08.2011 - 10:13
Visualizações: 1398
Tamanho da letra: -A | +A


Alexandre Lyrio | Redação CORREIO
alexandre.lyrio@redebahia.com.br

Usuário de crack tenta cobrir o rosto com saco plástico. Mas estrago é vísivel

O homem da foto aí de cima bem que tentou disfarçar. Mas é impossível esconder uma das faces mais degradantes e tristes dessa cidade. Por mais escuro que seja o local, por mais que se tente encobrir a realidade, as luzinhas continuam acesas e se multiplicam por aí, como vaga-lumes do mal a iluminar olhares que parecem feitos de pedra.
Um ano depois de mapear os principais pontos de consumo de crack em Salvador, o CORREIO voltou a circular nas madrugadas da capital baiana. O que identificou foi um aumento do número dos chamados “sacizeiros” ou “zumbis do crack”, além da  pulverização dos locais onde se concentram pessoas que usam a droga. Alguns deles ganharam a conhecida alcunha de cracolândias, antes restritas a duas ou três ruas do Centro Histórico.
Ano passado, a partir de flagrantes, informações de moradores e conversas com os próprios usuários, 12 lugares entraram na lista de locais onde havia “sacizeiros”. Dessa vez, além daqueles, outros oito foram identificados, somando 20 no total. Nem todos podem ser chamados de cracolândias, já que não concentram um grande número de pessoas.


Não há levantamentos oficias sobre consumo de crack nas ruas, o que é uma das várias evidencias de que essa gente é tratada pelo Estado e pela sociedade como escória. Segundo o psiquiatra da Universidade Federal da Bahia (Ufba) e coordenador dos chamados consultórios de rua da prefeitura, Antônio Nery Filho, houve apenas uma pesquisa, realizada em 2009, onde foram identificados 19 mil moradores de rua na cidade. Entre eles, os usuários de crack se mostravam os mais desvalidos. “São os excluídos dos excluídos”, define Nery.

Sem números, a única certeza é que vai longe o tempo em que apenas a Ladeira da Independência e as ruas do Gravatá e 28 de setembro eram usadas para o consumo. Hoje, há cracolândias em locais como Dois de Julho, Praça Cayru (Comércio), e rua Carlos Gomes, sem falar nos locais que não estão no centro. Muitos deles  em áreas nobres, como a rua Minas Gerais, na Pituba.

Por preferirem locais onde se consegue dinheiro fácil, os usuários costumavam manter-se longe da periferia e dos bairros pobres. Mas isso começa a mudar. Hoje, até mesmo no Subúrbio o crack é usado nas ruas. Em Paripe, na localidade do Bate Coração, há um local que os moradores chamam de cracolândia.  

Em relação ao ano passado, impressiona a multiplicação de usuários. No Dois de Julho, a quantidade de zumbis assusta, a ponto de os famosos bares Líder e Mocambinho terem se tornado ilhas cercadas de craqueiros.

Ali foi feita boa parte dos flagrantes fotográficos. Apesar da escuridão, os fotógrafos captaram cachimbos luminosos também em Nazaré, no Gravatá, na Praça Cayru, próximo ao Elevador Lacerda, e  na Carlos Gomes. Na famosa via do Carnaval, um grupo de sete pessoas dividia uma lata de Skol feita de fogareiro para acender os cachimbos.  

O Largo de São Bento, a Ribeira e a Estação Pirajá são alguns dos locais que entraram na lista. “Eles dormem de dia para aprontar de noite”, diz a dona de uma lanchonete na estação. Por incrível que pareça, relatos de assaltos e outros crimes graves são raros. Moradores e comerciantes falam apenas em confusões e pequenos furtos.

Na Barra, onde eles continuam a perambular principalmente pelo Porto e rua Afonso Celso, o dono de um restaurante é um dos que defende que sacizeiro não é criminoso. “Ficam para lá e para cá. Mas, quer saber de uma coisa? Eles não fazem mal a ninguém, não. O que afasta os clientes é o aspecto decadente”.
Na Praça Almeida Couto, em Nazaré, os sacizeiros continuam convivendo sem maiores problemas com os moradores. “Com a gente eles não mexem, não. Quando brigam, é entre eles”.

As brigas, realmente, são muito comuns. Em apenas uma noite, a equipe de reportagem presenciou duas. Uma no Pelourinho e outra na Barroquinha. O motivo? Crack.

O crack vai se instalando como problema crônico na sociedade. Conversas com usuários  mostram que a pedra é um dos vícios mais difíceis de largar.  A vida trivial antes do crack é sempre algo distante. “Eu era do Circo Picolino. Tinha 11 anos naquela época. Aí meu pai foi assassinado e minha mãe ficou maluca. Caí na pedra e estou até hoje”, contou Vicente Jesus dos Santos, 18 anos, que fazia malabares na sinaleira do Campo Grande.
Com os trocados, o menino que morava na Fazenda Coutos compraria e fumaria pedra no Dois de Julho, onde costuma perambular. “A pedra lá é R$5. Me arruma uns R$3 aí”.

 Assim, do Centro Histórico à Pituba, da Barra à Itapuã, o crack vai transformando Salvador na cidade da pedra.
'Não existe epidemia', diz professor
O homem que hoje arregaça as mangas e vai às ruas de Salvador tentar mudar a vida de usuários de crack faz isso desde a década de 1980. Atual coordenador dos chamados Consultórios de Rua - projeto que a prefeitura desenvolve em parceria com a Secretaria Nacional de Política Sobre Drogas (Snad) - o psiquiatra e professor a Ufba Antônio Nery Filho se recusa a falar em avanço do crack na cidade. Para ele, a tão falada “epidemia” da pedra nada mais é que uma criação da mídia.

“Não há o aumento que se alardeia. O que houve é que a mídia descobriu o crack, que sempre se restringiu a um grupo de excluídos. ‘Cracolândia’, no sentido que usa a palavra, só existe em uma determinada região do Centro Histórico”. Mais adiante, porém, o professor admite que há aumento de consumo, mas os números não seriam  absolutos. “Aumentou porque cresceu a população e, principalmente, cresceu a miséria. Não é o crack que avança, o que avança é a miséria”.

Nos consultórios de rua, Nery vai aos locais de consumo de drogas com uma equipe multidisciplinar. Atua no Gravatá, Baixa dos Sapateiros e São Joaquim. Nos consultórios, diz Nery, cuida-se das pessoas e não só das drogas. “Não é a droga que leva para a rua. Em geral, é a rua e a miséria que impõem o uso da droga para facilitar tal vivência. Por isso, antes de cuidar da droga, cuidamos de outras questões da vida da pessoa”.

O modelo de consultório de Nery, criado na capital baiana em 1995 e interrompido em 2004 por falta de recursos, hoje é retomado e implantado em outras quatro capitais do país. Além dos consultórios, o serviço público dispõe também dos Centros de Atenção Psicosociais Álcool Drogas (Caps-AD) para cuidar de usuários de crack. Há dois deles em Salvador: um em Pernambués e outro em Campinas de Pirajá.

BOTA SEGURANÇA NISSO !!!!!!!!!!!!




Descri??o: Descri??o: BD7D104B316D4007B23F79D48FEC0161@ema.corp

Descri??o: Descri??o: E167F2E2D5E0446EB1794F3708703A2F@ema.corp

Descri??o: Descri??o: 7D983F257BDC447BB99F1A0FF804189B@ema.corp
Descri??o: Descri??o: DD183CF7C10A42BBBBD813C92ADFB469@ema.corp
Descri??o: Descri??o: E7F8C08BBC7242B48031C5C39CE8D60A@ema.corp

Descri??o: Descri??o: 171F81938A5C41D495C595C9C3350AA8@ema.corp

Descri??o: Descri??o: 19FF3CCDC159453BBCC90FFF8ADF81F0@ema.corp
Descri??o: Descri??o: 6FACC660F3DB44C29E77DFD7953054E0@ema.corp

Descri??o: Descri??o: 68EF23E578744A5B8E6661664BAAD0CB@ema.corp
Descri??o: Descri??o: 4186BEECB8944940A2CFE328AF0C5BD8@ema.corp
Descri??o: Descri??o: 4E2A0A3EC6B54F369573989455FAD793@ema.corp
Descri??o: Descri??o: 3BBE8E062E6746FBA3A1FD5F9AF05970@ema.corp
Descri??o: Descri??o: 2DF7B341629141149D7F31375FD7B3A6@ema.corp
Descrição: Descrição:
 667EEC91C6974753BC261CF89B7FE886@ema.co
Descri??o: Descri??o: BDB3F95A482A46139EFF0F66C1E369BB@ema.corp
Descri??o: Descri??o: 8F2DC1BE2BC6452E9843A4A2EF335540@ema.corp
Descri??o: Descri??o: AC2AD883E54B4BE38C4E2AC2024A3EE4@ema.corp
Descri??o: Descri??o: 33F20C5733BA46D1920AFA8BF785BE73@ema.corp
Descrição: Descrição:
 481819E676414796A4CCE9F183B387F0@ema.co
Descrição: Descrição:
 11CF89B865674E70A1B08B6EA7DD5645@ema.co
Descri??o: Descri??o: D2BE0287406E4642A7779F02B939C212@ema.corp
Descri??o: Descri??o: 5CB14FBD7541478EA880426EDC06CCDA@ema.corp

 

sábado, 27 de agosto de 2011

PROGRAMA DE UZIEL NA BAND ESTREIA DIA 19

http://www.bahianoticias.com.br/noticias/noticia/2011/08/27/101211,programa-de-uziel-na-band-estreia-dia-19.html


PROGRAMA DE UZIEL NA BAND ESTREIA DIA 19

00:00:06
imprimir

Um dos maiores nomes do jornalismo popular baiano está de volta às telinhas. No próximo dia 19, Uziel Bueno estreia seu novo programa na Band Bahia. O jornalista, que também apresenta o programa Acorda pra Vida, da Rede Tudo FM 102,5, comandará o Brasil Urgente. Veja a nova chamada da atração na coluna Holofote.

ELEVADOR LACERDA: PANE SUSPENDE FUNCIONAMENTO


http://www.bahianoticias.com.br/noticias/noticia/2011/08/26/101108,elevador-lacerda-pane-suspende-funcionamento.html#

ELEVADOR LACERDA: PANE SUSPENDE FUNCIONAMENTO

00:00:07
imprimir
O Elevador Lacerda teve o funcionamento suspenso, nesta quinta-feira (25), por conta de um curto circuito no gerador da cabine 1, de acordo com a assessoria da Transalvador. O desligamento da primeira cabine causou a desativação da número 2, pois esta é utilizada apenas no resgate de passageiros em caso de emergência. Já que as outras duas cabines do elevador foram desativadas desde o início do mês, o elevador está temporariamente inativo. Para atender os usuários do ascensor enquanto o funcionamento está suspenso, a prefeitura disponibilizou cinco microônibus e um ônibus convencional que farão o trajeto que liga as cidades alta e baixa gratuitamente. Uma equipe técnica da Otis, empresa responsável pela manutenção, já está no local para fazer os reparos necessários e reativar as cabines 1 e 2 até sexta-feira (26). Já a terceira e a quarta cabines só voltarão a funcionar dentro de 30 dias. Ainda segundo a nota de esclarecimento da Transalvador, representantes da superintendência e da Otis se reuniram nesta quinta (25) para discutir a reforma completa do elevador. A empresa se comprometeu  em apresentar, até a terça (30), o orçamento da troca total das quatro cabines e da reforma dos controles eletroeletrônicos.

VEJA ACUSA DIRCEU DE CONSPIRAR CONTRA DILMA

http://www.bahianoticias.com.br/noticias/noticia/2011/08/27/101245,veja-acusa-dirceu-de-conspirar-contra-dilma.html


VEJA ACUSA DIRCEU DE CONSPIRAR CONTRA DILMA

10:40:37
imprimir


Sistema interno de TV do hotel registrou visita dos senadores Walter Pinheiro, Delcídio Amaral e Lindbergh Farias
A revista Veja desta semana publica reportagem em que afirma que o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu (PT) estaria tentando influenciar decisões do governo a contragosto da presidente Dilma Rousseff. Segundo a publicação, o petista mantém um quarto em um hotel de Brasília uma espécie de gabinete, onde recebe seus aliados. Entre os dias 6 e 8 de junho deste ano, às vésperas da queda do ex-ministro da Casa Civil Antônio Palocci, Dirceu recebeu dez pessoas, entre elas os baianos senador Walter Pinheiro (PT) e o presidente da Petrobrás, José Sérgio Gabrielli. A revista acusa Dirceu de articular para colaborar com a queda de Palocci. Nesta manobra, teria contado com o apoio de Pinheiro e mais dois senadores, Delcídio Amaral e Lindbergh Farias, ambos do PT, que boicotaram um manifesto organizado pelos colegas de bancada em favor da manutenção do ex-ministro. Dirceu queria o líder do governo na Câmara, o deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), no comandando da Casa Civil, mas frustrou-se após Dilma, ciente das investida de Dirceu, ter se antecipado às pressões pró-Vaccarezza que surgiam pela imprensa e nomeou a senadora Gleisi Hoffmann.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Repassando


 PARA AQUELES QUE DIZEM QUE ESPANHOL É FÁCIL, QUASE IGUAL AO PORTUGUÊS.

Traduza a frase abaixo

"LA VIEN UN TARADO PELADO COM SU SACO EN LAS MANOS CORRIENDO DETRAZ DE LA BUSETA, PARA COMIR PORRO Y CHUPAR PINTÓN."



Traduziu?

Acertou?

Tem certeza?
Veja abaixo.....TRADUÇÃO CORRETA
”LÁ VEM UM HOMEM LOUCO CARECA COM SEU PALETÓ NAS MÃOS CORRENDO ATRÁS DO MICRO ÔNIBUS, PRA COMER CHURROS E BEBER CACHAÇA.”

- Pois é, além de não saber espanhol, você só pensa besteira