Translate

Pesquisar

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Bancários iniciam greve por tempo indeterminado


Arestides Baptista | Ag. A TARDE
Categoria recusa propostas do patronato e inicia greve por tempo indeterminado
Categoria recusa propostas do patronato e inicia greve por tempo indeterminado


As agências bancárias na capital e no interior da Bahia começaram a
 terça-feira (27) com faixas e cartazes anunciando greve
 por tempo indeterminado. A paralisação nacional dos 
funcionários, que reivindicam aumento salarial, começa 
hoje, depois de ter sido aprovada no último dia 22 de 
setembro e reiterada após nova assembleia na tarde 
de ontem.
A categoria pede reajuste salarial de 5% mais a
 inflação, totalizando 12,8% de reajuste. A Federação
 Nacional dos Bancos (Fenaban), por sua vez, oferece 
8%, com 0,56% de aumento real.
De acordo com Euclides Fagundes, presidente do 
Sindicato dos Bancários do Estado da Bahia, ainda 
não é possível saber se todas as agências do estado
 estão fechadas. “Ainda não temos esses números, de 
quantos pararam, mas este é um movimento que
 já surge forte nacionalmente”, explica.
Em toda a Bahia, são 650 agências bancárias, sendo 
375 no interior e outras 275 na capital. Para Fagundes,
 mesmo sem saber quais serviços estão suspensos, há 
alternativas para a população que utiliza os serviços 
bancários. “Há alternativas como os caixas eletrônicos,
 as casas lotéricas, a internet. Com certeza, não haverá 
suspensão de cem por cento”, assegura o presidente.
Negociações – Conforme explicou Fagundes, ainda 
não há mesas de negociação marcadas, mas um 
parâmetro a ser adotado foi a proposta do Banco 
Regional de Brasília (BRB), que apresentou para ser
 funcionários uma proposta de 8,5% para o piso salarial.

Para o diretor de comunicação do Sindicato dos
 Bancários, Adelmo Andrade, a categoria reivindica
 ainda a participação nos lucros, a valorização do
 piso salarial de R$ 2.297,51, Participação nos Lucros e
 Resultados (PLR) de três salários mínimos, além de
 aumento na segurança.

Em toda a Bahia, são 650 agências bancárias, sendo
 375 no interior e outras 275 na capital. Um total de 13.700
 funcionários trabalham nas agências de toda a Bahia. Para 
Fagundes, mesmo sem saber quais serviços estão suspensos, há
 alternativas para a população que utiliza os serviços bancários.
 “Há alternativas como os caixas eletrônicos, as casas 
lotéricas, a internet. Com certeza, não haverá suspensão de
 cem por cento”, assegura o presidente.

Suspensão dos Serviços – Além dos caixas eletrônicos, a
 população pode também realizar serviços através de
 casas lotéricas e outras instituições que realizam
 pagamentos de faturas como cartão de crédito, contas de
 água, luz e telefone. Andrade explicou ainda que, nos dias
 em que acontece o pagamento de aposentados e 
pensionistas, será feito um mutirão para que as pessoas
 não sejam prejudicadas.

Para a aposentada Conceição Ramos, que procurou
 atendimento no Bradesco da Avenida Sete de Setembro e
 encontrou a agência completamente fechada, a greve
 prejudica a população. “Precisava tirar um extrato para
 entregar na Receita Federal, mas não consegui”, reclamou.

Também aposentada, Floricéia Cruz conseguiu resolver o 
problema com o caixa de autoatendimento do Banco do 
Brasil. “Por enquanto, não fui prejudicada, mas com o 
decorrer do tempo, a população acaba tendo problemas”, disse.

Já a auxiliar de nutrição Joelma dos Santos, que não 
conseguiu atendimento no Banco do Brasil, considera a 
greve um absurdo. “A maioria dos caixas eletrônicos 
está sem funcionar. Quem acaba pagando é o trabalhador”, protestou.


Nenhum comentário:

Postar um comentário