Minha foto
Salvador, Bahia, Brazil
Esta é minha Oração para nosso Senhor Deus,O Criador,O Clemente,O Altíssimo e Misericordioso. O Senhor é meu pastor,nada me faltará. Em verdes prados me fará repousar. Conduz-me junto às águas refrescantes, restaura as forças de minha alma. Pelos caminhos retos me leva, por amor do seu nome. Ainda que eu atravesse o vale escuro, nada temerei,pois estais comigo. Vosso bordão e vosso báculo são o meu amparo. Preparais para mim a mesa à vista de meus inimigos. Derramais o perfume sobre minha cabeça, e transborda minha taça. A vossa bondade e misericórdia hão de seguir-me por todos os dias de minha vida. E habitarei na casa do Senhor por longos dias. Pai Celestial,reconheço que sou diante de Ti,apenas um homem fraco e pecador.Más somente em Ti eu tenho Fé e Confiança. Por isso te peço que sejas meu Advogado e meu Juiz e faça da tua Justiça a minha vingança á aqueles que atentaram e atentam contra mim e minha Família. E me faça andar sempre pelos caminhos da Bondade,Honestidade e da Verdade.

Translate

Pesquisar

Carregando...

sábado, 24 de setembro de 2011

A divisão do estado da Bahia


Estudo aponta 'inviabilidade' na divisão da Bahia

por José Marques

Estudo aponta 'inviabilidade' na divisão da Bahia
Um estudo divulgado nesta sexta-feira (23) pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI) desmonta a possibilidade da divisão baiana através da criação do estado do São Francisco. O documento se intitula “Análise da estimação do gasto de funcionamento do novo estado do São Francisco” e demonstra, através de cálculos de projeção de gastos, que a instalação de uma nova máquina pública no local é “inviável tecnicamente” por razões “tanto de natureza política como econômica e social, pois se tal divisão vier a ocorrer, todas as demais Unidades da Federação seriam prejudicadas economicamente”. De acordo com a pesquisa, “a manutenção do novo estado do São Francisco custaria anualmente, em valores de 2009, no mínimo R$ 2,5 bilhões”. “O mesmo estudo revelou também que o esforço de arrecadação do novo estado possibilitaria uma receita estimada em torno de R$ 1,7 bilhão, que, portanto, não seria suficiente para cobrir o montante estimado de seus gastos correntes. Ou seja, tudo mais permanecendo constante, a União teria que arcar, anualmente, com R$ 800 milhões somente para cobrir o déficit nos gastos correntes do novo Estado”, continua a análise. 

http://www.bahianoticias.com.br/principal/noticia/103255-estudo-aponta-039-inviabilidade-039-na-divisao-da-bahia.html



A conclusão da análise da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI) sobre a criação do estado do São Francisco aponta que "[a unidade] não teria autonomia para bancar o custo de funcionamento e dependeria de transferências da União para cobrir o déficit primário de aproximadamente R$ 800 milhões por ano, assim como investimentos de implementação de estrutura do governo e recursos para investimentos em infraestrutura, o que elevaria os custos bem acima dos R$ 2,5 bilhões estimados”. O estudo da SEI entra em discordância com a hipótese do vice-governador da Bahia, Otto Alencar.  O membro do Executivo baiano se manifestou a favor da divisão do estado e disse, em entrevista ao Bahia Notícias, que a criação da nova unidade federativa não seria onerosa aos cofres públicos. “O Oeste [da Bahia] hoje já tem uma produção agrícola, de agronegócio – e agora com a Ferrovia Oeste-Leste que vai desenvolver muito a região – que na minha opinião reúne as condições de ter essa estrutura [de unidade federativa]. E outra coisa: se vai ter estrutura lá, não terá mais o custo aqui no estado”, afirmou.

http://www.bahianoticias.com.br/principal/noticia/103256-criacao-do-estado-do-sao-francisco-seria-onerosa-em-r-800-milhoes-anuais-a-uniao.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário