Translate

Pesquisar

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Jornal O Clarin




No valor de 50 mortes na Bahia durante uma greve da polícia

Ocorreu durante as cinco horas que cerca de 10 000 policiais se reuniram com uma medida de força. O presidente enviou 2.600 militares Rousseff.


04/02/12 - 14:56
Pelo menos 50 pessoas foram mortas desde sexta-feira no estado brasileiro da Bahia, uma das capitais turísticas do Brasil, depois que a polícia lançou um ataque que forçou o presidente a enviar tropas militares Rousseff.
Na tarde de ontem, o exército tomou as ruas irregulares do centro histórico da Bahia, como todos chamam a cidade de Salvador. Os turistas que viajaram estavam surpresos ao ver, entre pequenas lojas de souvenirs e bares.O oficial de informações até o fechamento desta edição dos mortos indicou que não havia turistas.
Uma mulher que aparentemente estava amamentando seu bebê morreu durante o ataque de estranhos de um carro no Largo das Mercês, no centro da capital baiana Salvador, na noite de sexta-feira, divulgou hoje o Estado de São Paulo.
Outro ataque similar ocorreu nas últimas horas de ontem, no Cosme de Farias, periferia de Salvador, deixando um homem morto, enquanto as tropas do Exército começaram a patrulhar o Pelourinho, a principal atração turística, e outras áreas estratégicas para restaurar a ordem.
Até 6 horas de hoje houve 29 mortos, informou a Globo. O governador da Bahia, Jaques Wagner, que acaba de retornar de uma turnê de Cuba com o presidente Rousseff, condenou a repressão da polícia e ordenou a prisão dos líderes da greve. "Eu não esperava uma atitude diferente do presidente Dilma", disse o governador agradecendo o envio de 2.600 tropas do, Exército Marinha e Força Aérea.
Clarín aluguer Vários argentino disse que eles ficaram surpresos com o número de soldados. Estes eram parte do adiantamento de 650 soldados enviados pelo governo federal. No caminho Iban 1.950 soldados foram mobilizados e outros 4.000 em estados vizinhos, no caso de que precisavam de reforços.
"É uma cidade grande, você tem que ter cuidado sempre. O proprietário do hotel fomos avisados ​​pela greve da polícia, mas nós gastamos nada. Tem que tomar precauções extras e nada mais", disse ele por telefone Raul Carmessot Clarin, 54, uma Buenos Aires que está de férias Salvador.
A violência eclodiu quando cerca de 10.000 Bay membros da polícia militar de 32.000 membros em que o estado-Noroeste entraram em greve para exigir salários mais altos.
Caos tomou a cidade à noite, quando houve tumultos em muitas lojas, incluindo vários da emissora estatal Cesta do Povo. Maior parte dos danos ocorreu nos bairros da periferia do bahiense capital. Há empresas eletrodomésticos foram destruídos e assustado as pessoas.Nesta hora, roubos e assassinatos superou as estatísticas média desta cidade que abriga cerca de 4 milhões de pessoas.
Segundo dados oficiais, em cinco horas houve 17 assassinatos. A média da cidade é de 13 mortes violentas em 24 horas. As mortes ocorreram, segundo o governo, entre 1 e 6 da manhã de ontem. Dada a insatisfação e medo, a maioria das empresas decidiu fechar as autoridades de aplicação, disse que os mortos eram todos traficantes

Nenhum comentário:

Postar um comentário