Translate

Pesquisar

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Impasse entre governo e professores prejudica 1,1 milhão de estudantes

http://atarde.uol.com.br/cidades/noticia.jsf?id=5829927&t=Impasse+entre+governo+e+professores+prejudica+11+milhao+de+estudantes


Paula Pitta | Agência A TARDE
Os professores, que estão em greve desde o dia 11 de abril, ocupam o CAB desde a quarta, 18


O governo do Estado da Bahia e o movimento sindical dos 
professores divergem sobre a legalidade do corte do ponto de
 grevistas. A falta de entendimento prejudica 1,1 milhão de
 estudantes e deve mudar o calendário das escolas estaduais, 
interferindo na rotina de milhares de famílias no Estado. 
O presidente da APLB – Sindicato, Rui Oliveira, afirma que 
haveria decisão no Supremo Tribunal Federal (STF) que daria 
 amparo à tese da categoria.
Para o secretário estadual de Administração, Manoel Vitório, o 
movimento foi julgado ilegal pelo Tribunal de Justiça e o ponto 
de quem não trabalha será cortado. “A contraprestação do 
salário é o trabalho e os descontos na folha de pagamento serão
 feitos para os professores que não trabalharem. Já os que estão
 dando aula, suas folhas correrão normalmente”. Ele informa  que 
o professor que deixar a greve e começar a cumprir seu trabalho,
 voltará a ser remunerado..“Este reajuste vai causar um impacto 
de R$ 412 milhões na folha do governo que não pode cumprir 
estas expectativas por não ter recursos para tal”, declarou.
Cerca de mil professores grevistas, que estão acampados no 
prédio da Assembleia Legislativa, discutiram nesta quinta, 19, a 
equiparação do piso estabelecido pelo Ministério da 
Educação (MEC). A categoria, que está em greve desde o 
dia 11 de abril, ocupa o CAB desde a quarta, 18. Os grevistas 
cercaram a entrada do prédio da Governadoria, o que fez com 
que a polícia instalasse uma barreira na frente do edifício. Os
 educadores afirmam que não há previsão para deixar o local.

FONTE; Jornal A Tarde

Nenhum comentário:

Postar um comentário