Translate

Pesquisar

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Por Antoniel Ferreira Junior

AS LINHAS DE ÔNIBUS EXPRESSAS ASSOCIADAS AS FAIXAS EXCLUSIVAS, A IMPLEMENTAÇÃO DE MAIS 2 TERMINAIS DE INTEGRAÇÃO (IGUATEMI E CALÇADA) E O PLENO FUNCIONAMENTO DOS 4 ASCENSORES PÚBLICOS: QUATRO POSSIBILIDADES CONCRETAS PARA MELHORAR A MOBILIDADE URBANA EM SALVADOR 


O metrô de Salvador está financeiramente inviável para ser posto em operação, pois os valores  arrecadados com a cobrança das passagens não seriam nem de perto suficientes para custear as despesas operacionais do sistema a exemplo dos recursos humanos, compra de peças, manutenção preventiva, limpeza, água, energia elétrica, etc... 

E não é a toa que em agosto deste ano seis empresas se negaram a participar do certame licitatório a fim de operacionalizar o problemático sistema metroviário soteropolitano.

Enquanto os imbróglios que envolvem os três entes federativos (Município de Salvador, Estado da Bahia e União) carecem de soluções concretas para que possam viabilizar o funcionamento do sistema metroviário soteropolitano, a população da 3ª capital do Brasil sofre com sérias dificuldades relacionadas a mobilidade urbana, ademais no dia 11 de agosto de 2013 a obra completará 14 anos de execução, sem qualquer perspectiva real de entrar em funcionamento.

A população não pode mais esperar por novas promessas, a dificuldade na mobilidade urbana em Salvador é um problema tão grave que já afeta a economia da cidade, pois o tempo perdido no trânsito pode corresponder a mais da metade das horas no expediente funcional do trabalhador, comprometendo a sua qualidade de vida, o seu descanso e que seguramente também repercute na sua produtividade.

Em termos práticos, objetivamente as linhas expressas consistem em linhas especiais de ônibus urbanos que farão pouquíssimas ou nenhuma parada entre o ponto de partida e o seu destino de forma a aumentar consideravelmente a velocidade média da viagem (40-45 km/h) e assim reduzir significativamente o tempo gasto com o transporte de passageiros, levando-se em consideração que atualmente a velocidade média dos ônibus é de 14km/h há que se ponderar que hoje temos um péssimo sistema de transporte público.

Para o sistema dar certo também será imprescindível determinar as faixas do lado direito sejam destinadas exclusivamente para o tráfego dos ônibus o qual caberia a instalação de um sofisticado sistema de vídeo monitoramento para que os agentes de trânsito pudessem  trabalhar em conjunto com o sistema nesta fiscalização, obviamente que o motorista em seu veículo automotor poderia cruzar a faixa exclusiva para acessar a uma rua ou avenida cujo acesso se localiza no lado direito da pista principal.

Associada a esta proposta, o próximo gesto
r poderá transformar a Estação de Transbordo do Iguatemi e o Terminal da Calçada em terminais de integração nos mesmos moldes da Estação Pirajá e a Estação Mussurunga no qual um passageiro que desembarcar nestas estações não pagaria outra passagem para embarcar num ônibus que tem outro itinerário.

O Terminal da Calçada está deveras degradado e se o mesmo fosse transformado num terminal de integração (para organizá-lo fisicamente basta instalar gradis, catracas, sanitários químicos) poderia revitalizar aquela área da cidade e ser o destino das linhas expressas do Subúrbio Ferroviário (daria suporte a Estação de Trem da Calçada) que também teriam linhas expressas para a Estação de Transbordo do Iguatemi. No Terminal da Calçada teriam ônibus circulares gratuitos com o sugestivo itinerário: Feira de São Joaquim/ Terminal da França/Campo Grande/Contorno/ Conceição da Praia/Feira de São Joaquim/ Calçada.

Os bairros da Península Itapagipana, da área da Fazenda Grande do Retiro, Boa Vista do São Caetano, São Caetano, Capelinha, Campinas, Marechal Rondon e Pirajá teriam linhas expressas destinadas exclusivamente ao Terminal da França e a Estação de Transbordo do Iguatemi (que também seria transformada num terminal de integração).

As linhas expressas de Valéria, Águas Claras, Castelo Branco, Pau da Lima, todos os bairros das Cajazeiras (via BR-324) e de todos os bairros do Cabula seriam destinadas ao Terminal da Barroquinha utilizando a Via Expressa Bahia de Todos os Santos e ao Terminal de Transbordo do Iguatemi.
Todos os bairros que margeiam a avenida Paralela e a Orla Atlântica de Salvador, em especial a Estação Mussurunga teriam linhas expressas destinadas a Estação da Lapa, bem como a Estação de Transbordo do Iguatemi.

Haveria linhas expressas da Estação Pirajá com destino a Estação de Transbordo do Iguatemi, a Estação da Lapa, Terminal da França e Estação Mussurunga e vice versa, observem que tanto a Estação Mussurunga quanto a Estação Pirajá são as mais afastadas do centro da cidade.

Seria de bom alvitre que todos os ascensores: Elevador Lacerda, Plano Inclinado Gonçalves, Plano Inclinado Pilar e o Plano Inclinado Liberdade-Calçada estivessem em pleno funcionamento a fim de otimizar ainda mais esta nova perspectiva de mobilidade urbana.

As linhas expressas podem ser implementadas com facilidade e em curto espaço de tempo, os ônibus podem ser plotados com adesivos especiais sinalizando que aquele veículo opera uma linha expressa, ademais bairros como a Liberdade, Federação, Ondina, Engenho Velho da Federação, Brotas, Cosme de Farias, Luiz Anselmo, Matatu, Engenho Velho de Brotas, Acupe de Brotas, Caixa D’água, Pau Miúdo e IAPI estão próximos do centro da cidade e em tese seria desnecessária a implementação de linhas expressas nestes bairros, mas em compensação poderiam ser implementadas linhas seletivas (vulgo frescão) para proporcionar maior conforto aos passageiros.

As linhas expressas atrelada a criação de mais 2 terminais de integração e ao pleno funcionamento dos ascensores podem dar um impacto rápido e direto na melhoria da vida das pessoas sobretudo em sua qualidade de vida, sendo uma alternativa plausível diante da trapalhada relacionada ao metrô que perdura há 13 anos ainda não tem uma previsão concreta para entrar em funcionamento.

Obviamente que a referida proposta precisará de alguns ajustes a fim de corrigir possíveis distorções e assim adequá-la a realidade de cada região da cidade quanto a sua necessidade.

Segue a proposta para fins de apreciação popular.

Cordialmente,


Antoniel Ferreira Junior
Salvador, capital do Estado da Bahia.
04 de novembro de 2012.



Antoniel Ferreira Junior
(71) 9955-0044/ 8669-1664/ 9370-9370/ 8277-7333

Nenhum comentário:

Postar um comentário