Translate

Pesquisar

sábado, 14 de setembro de 2013

DÊ TEMPO AO TEMPO


Somente o TEMPO não envelhece e não morre. O TEMPO vem, o TEMPO vai, mas o TEMPO permanece prazenteiro e fagueiro. O TEMPO sempre saltitante, alegre e descompromissado como um adolescente feliz, o qual todos os dias brinca de ciranda cirandinha vamos cirandar com todos os seres vivos deste gigantesco encantador e misterioso satélite. O TEMPO sempre esta a disposição do vem e vaidas noites, como também a vinda do dia. O TEMPO deixa que o sol nos chispe e aqueça nossos corpos, que a noite nos faz descansar da correria do cotidiano. O TEMPO faz surgir à chuva, o vento, o frio, o calor, o maremoto, o tufão entre outras belezas e flagelos naturais. O TEMPO germina a semente do alimento que sacia a fome da humanidade, a qual deambula por um curto período na superfície da terra. O TEMPO dá um prazo curto de TEMPO para o nascimento dos mares, rios, florestas, plantas, flores das mais diversas e lindas, bem como o surgimento dos animais brutos. O TEMPO permite que o homem nasça, desenvolva, envelheça e sucumba num período pequeno de TEMPO. Tudo e todos têm seu TEMPO aqui neste mundo, mas só o TEMPO é implacável com os viventes, ou seja, somente ele é quem determina o TEMPO que deveremos ficar e partir deste grande hospício. O TEMPO é o pai da razão, o senhor do próprio TEMPO, o qual esta sempre jovem, permitindo que saibamos que o TEMPO se encarrega de nos ensinar algo de bom, a fim de ser transmitido aos mais jovens durante nossa estadia por aqui. Nem todo TEMPO é suficiente para que tenhamos TEMPO de realizar tudo que achamos que encontraríamos TEMPO para ter TEMPO, a fim de resolver com TEMPO nossas pendências com a natureza. Todavia, se pudermos usar os TEMPOS que temos para cumprir tudo que planejamos vamos aproveitar o TEMPO disponível para que o TEMPO passe despretensiosamente. TEMPO, amado TEMPO você faz de nós uns bobinhos, enquanto pensamos que fazemos o TEMPO, o TEMPO é que faz pilhéria conosco, o qual brinca de passa TEMPO conosco. Não podemos e devemos dar um TEMPO ao TEMPO, o TEMPO quem faz somos nós, já neste instante de TEMPO. Fica TEMPO, eu vou, mas como consolo passei um TEMPO pelo TEMPO. O TEMPO NÃO TEM TEMPO? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário